Como contar para uma CRIANÇA que alguém MORREU?

SE PARA ADULTOS O ASSUNTO JÁ É DIFÍCIL, IMAGINE PARA AS CRIANÇAS.

Muito delicado, mas inevitável, o tema morte demanda muito cuidado e atenção na hora de ser comunicado. Uma coisa é certa: querer poupar a criança da morte ou do conceito de morte achando que são muito pequenas para entender certamente não é o melhor caminho para que cresçam sem medo.


                                          COMO CONTAR PARA UMA CRIANÇA QUE ALGUÉM MORREU? 

Segundo estudos, as crianças só entendem que a morte é uma perda irreversível após os 6 anos de idade. Não que elas não saibam do fato da perda em si, mas entender o conceito direitinho depende da idade. Por isso, os adultos são fundamentais para explicar do melhor modo possível que a morte faz parte do ciclo natural da vida.

É bom escolher o momento certo para dar a notícia. Depende também da causa da morte. Uma morte que vem como consequência de uma longa enfermidade gera mais resignação e equilíbrio na família. Nesse caso a criança também reage melhor.

A morte é um fenômeno natural e a criança vai sempre reagir em função do sentimento vivenciado pela família. Já quando a morte é trágica e inesperada, o melhor é recuperar um pouco o equilíbrio, até se alcançar a condição de diálogo, com o máximo de serenidade possível.

 

SEJA VERDADEIRO E AUTÊNTICO

Uma boa oportunidade para começar a falar da morte e ajudar a criança absorver isso como natural (triste, mas inevitável, como já dissemos) é explicando o fim de uma planta ou de uma flor, por exemplo. Ou conversar sobre um animalzinho que ficou doente e morreu. Há muitos livrinhos infantis para crianças que falam disso. Aproveite-os!

O lado emocional é mais individual e depende também das experiências de vida de cada pessoa. Mas as crianças percebem mudanças no clima e nas emoções das pessoas próximas. Seu filho vai notar que você está triste, preocupado ou agindo diferente, você querendo ou não.

Os pais, às vezes, tentando acertar e poupar a criança, acabam errando. Por exemplo, o pet da família morre e dizem à criança que ele fugiu ou sumiu. Depois, por acaso, ela ouve uma conversa sobre a morte do animal. Pronto: soube da pior maneira.

A VOVÓ MORREU? E AGORA?

A morte de uma pessoa querida é sempre difícil e é bastante natural que quem tem filhos fique no dilema de como viver a sua própria dor sem que isso seja ruim para as crianças.

Como contar para criança que alguém morreu e essa pessoa é a vovó?
Siga algumas dicas:
Procure não esconder o que você está sentindo;
Chore e conte ao seu filho que a vovó morreu;
Mostre a ele que não tem problema ele se sentir triste também;
Diga que é normal e saudável demonstrar as emoções;
Deixe que ele também expresse o que está sentindo;
Estimule a criança a fazer perguntas;
Responda objetivamente, sem “filosofar” muito.

Cuidado com certas “frases feitas”!

Não é de hoje que a dúvida sobre como contar para criança que alguém morreu preocupa os adultos. Por conta disso, algumas atitudes e frases foram passando de geração para geração, mas podem não ser as mais indicadas.
Quer ver alguns exemplos? Não diga que a pessoa dormiu ou descansou para sempre. A criança pode levar ao “ pé da letra” e ficar com medo na hora de dormir ou achar que a pessoa que morreu acordará de repente.
Falar que o falecido “foi fazer uma longa viagem” ou “foi embora” também confunde a cabeça da criança. Afinal, pessoas que gostam da gente se despedem quando vão fazer uma viagem e, na grande maioria das vezes, voltam, não é mesmo?

“Educar as crianças para a morte é educar para a finitude”!