A importância de PERDOAR quem já se foi!

A vida passa num piscar de olhos! 


Quando menos esperamos, perdemos pessoas que amamos muito e também aquelas com as quais temos diferenças, questões não resolvidas ou mágoas. Nestes casos pode ficar uma sensação de um filme inacabado e de impotência para se fazer algo. 
Daí a importância de perdoar quem se foi...

 

Mas, afinal, porque a importância de perdoar mesmo depois que a pessoa se foi?

Quando acumulamos mágoas e dores em relação a uma pessoa que partiu pra outra dimensão, causamos muito mal ao nosso ser. E ao andamento de nossas vidas.

Ficamos muito mais aliviados quando conseguimos virar a página e diluir todos os sentimentos negativos, transformando-os em paz e energia boa pra nossa alma e, provavelmente, pra quem se foi também.

Quando perdoamos, curamos nossa própria dor ou mágoa. Seguimos mais aliviados e leves. O rancor atrai coisas ruins e pode prejudicar a nossa saúde mental e física. Quando nos livramos dos ressentimentos, podemos conquistar a paz.

São várias as frases e bordões que enaltecem o perdão:

  • Errar é humano, perdoar é divino;
  • É perdoando que se é perdoado (ensinamento expresso na Oração de São Francisco);
  • O fraco nunca pode perdoar. Perdão é um atributo dos fortes (Mahatma Gandhi, líder pacifista indiano do século XIX).

Como vemos, não é de hoje que o PERDÃO faz a diferença na vida das pessoas, independentemente de crenças e religiões, embora todas estimulem a atitude de perdoar.

Podemos, também, rezar ou mandar energias positivas àquele que se foi para que seu caminho depois de sua partida seja tênue, sem impedimentos que atrapalhem o descanso em paz. Quem fica precisa continuar tocando a vida e se dedicando às coisas que mais importam, como família, trabalho, amigos, entre outras.

O que significa exatamente o ato de perdoar?

Perdoar é desculpar um erro ou uma ofensa feita por alguém. Na Bíblia, a palavra grega traduzida “perdão” quer dizer “abrir mão, deixar ir embora”. Uma das frases da oração Pai Nosso, ressalta “perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos têm ofendido”.

Perdoar não é esquecer o ocorrido, mas livrar-se do ódio, da raiva e da vontade de se vingar. O ato de perdoar tem que sair do coração. Desta forma, livramos quem nos ressentiu para que possam se arrepender também de seus atos.

Quando perdemos alguém que nos amargurou ou quando damos de cara com a morte, percebemos que atos ou algumas palavras rudes ficarão pra trás e se perderão no tempo.

Mas se nosso coração não conseguir perdoar ou esquecer, precisamos refletir muito sobre isso. O perdão consegue curar enquanto a mágoa pode ser um veneno lento na nossa vida.

 

CURE-SE COM O PERDÃO

O perdão é um santo remédio para o nosso corpo e alma. Porque por meio dele, conseguimos dissolver os nós da garganta e o peso que carregamos nas costas. Muitas pessoas atormentadas pela mágoa, pelo ressentimento e desejo de vingança sofrem de dores no estômago, de cabeça e têm até o coração afetado.

O sentimento ruim que trazem consigo gera outras atitudes negativas, como a falta de confiança, o preconceito e as críticas indevidas. Ao livrar-se de todo esse tormento, as pessoas transformam-se e começam a ver o mundo com outros olhos. Os olhos do bem.

Perdoar não é tarefa fácil. Muitos precisam fazer anos de terapia para se curarem do rancor acumulado. Outros tomam remédios fortes durante muito tempo pensando se tratar de depressão e outras doenças.

Engana-se quem, com a perda de alguém, acredita que não vale mais a pena dar continuidade a algo que não faz mais sentido. Isso não é verdade. O período que passamos vivos é muito curto e o ideal é que não percamos tempo com sentimentos que nos amarram e travam nosso caminhar.

Cure-se desse mal!